Não é segredo para ninguém que administrar uma empresa não é uma tarefa fácil. Desde a burocracia da criação até as dificuldades rotineiras de gerenciamento de pessoas, tarefas e orçamentos, manter um negócio funcionando demanda bastante determinação.

É claro, no entanto, que existem maneiras de facilitar algumas partes desse processo para que o gerenciamento da marca se torne mais simples e efetivo.

E uma dessas maneiras é promovendo a consultoria financeira na sua empresa.

Mas como a consultoria financeira pode ajudar?

Para ser bem direto, a consultoria financeira permite que a sua empresa tenha um controle muito maior da manutenção de gastos e pagamentos e, dessa maneira, esteja mais segura para investir e utilizar o capital da melhor maneira possível.

Isso é o que chamamos de saúde financeira: ter controle de entradas, saídas, investimentos e rendimentos do capital a empresa.

Ou seja, a consultoria financeira é uma ferramenta que permite que as empresas alcancem a tão sonhada saúde financeira.

E como a consultoria financeira faz isso?

  • Aumento do lucro: o gerenciamento e controle de gastos da empresa permite que as decisões tomadas sejam mais assertivas e bem direcionadas, já que foram tomadas com clareza e sem nenhuma pressão imposta por emergências financeiras. Isso faz com que o índice de sucesso de cada manobra financeira e investimento feito pela empresa aumente e, consequentemente, eleva as taxas de lucro.
  • Conhecimento do negócio: dominar e conhecer todos os aspectos da empresa é imprescindível para que o negócio possa crescer e se tornar cada vez mais rentável. Naturalmente, o aspecto financeiro é um dos que devem ser observados minuciosamente para garantir que tudo esteja correndo como o planejado.
  • Desenvolvimento de diagnósticos e soluções: ter plena consciência sobre a realidade financeira do seu negócio traz a possibilidade da criação de estratégias e planos de ação para reverter possíveis problemas relacionados ao orçamento. Sendo assim, a consultoria financeira se torna indispensável para empresas que precisam encontrar soluções financeiras de curto, médio e longo prazo.

Muitas empresas cometem o erro de negligenciar a saúde financeira do negócio e tratar a consultoria financeira como ‘médicos’, ou seja, recorrer a esse recurso apenas quando têm algum problema.

O correto, no entanto, é fazer uma consultoria financeira constante para alinhar objetivos e metas financeiras a fim de potencializar os resultados da empresa.

E você, o que faz para manter a saúde financeira da sua empresa em dia?

O fechamento de contas de uma empresa é um dos processos financeiros mais importantes para que a gestão de orçamento seja feita com sucesso.

O problema é que muitos gestores cometem uma série de erros que comprometem a precisão do fechamento de contas e, por conta disso, a administração das finanças da empresa.

Pensando nisso, separamos uma lista de erros que você deve evitar na hora de fechar as contas do seu negócio no final do mês.

  1. Não acompanhar os lançamentos diários: fazer a revisão dos lançamentos semanalmente (ou até mensalmente) é extremamente prejudicial para qualquer negócio. Isso acontece porque a quantidade acumulada de dados e receitas torna mais difícil a identificação de eventuais irregularidades, além de atrasar o processo. Além disso, deixar tudo para a última hora te impede de fazer qualquer planejamento e ação preventiva.
  2. Não levar em conta possíveis atrasos: é importante que você considere a possibilidade de inadimplência dos clientes, mesmo que eles sejam pontuais. Isso significa que, ao invés de considerar um valor que ainda não entrou no caixa, o ideal é aguardar até o dinheiro ser recebido para adicioná-lo ao fechamento de contas.
  3. Não especificar os lançamentos: outro erro comum e que prejudica o fechamento de contas é a não identificação de cada lançamento. Para que isso não seja um problema, nomeie cada lançamento como pagamento de funcionário, despesas com manutenção, entradas, saídas, investimentos e outros.
  4. Não realizar previsões realistas: estimar lucros é um dos erros mais prejudiciais que existem para um fechamento de contas eficiente. Tenha cautela e evite se basear em meses anteriores para projetar entradas no fluxo de caixa.
  5. Não separar as contas pessoais e profissionais: uma das chaves para o fechamento de contas de maneira segura é separar os rendimentos individuais e empresariais, já que isso evita qualquer tipo de confusão e erro na hora de montar planilhas e analisar os dados financeiros.
  6. Não investir em automação: o fechamento de contas através de ferramentas tecnológicas é a maneira mais segura de evitar possíveis equívocos. Por se tratarem de máquinas, o índice de erro costuma ser baixíssimo e o fechamento é feito de maneira mais rápida e eficiente. Além disso, a automação do fechamento de contas torna o processo mais seguro, já que oferece um backup de dados.

Evitar esses erros é a maneira mais fácil de fazer um fechamento de contas preciso e eficaz.

Dessa maneira, você terá todas as informações orçamentárias necessárias para planejar os próximos passos financeiros para a sua empresa.

A gestão de empresas em tempos de crise é algo que sempre preocupa empreendedores. Seja pelo medo de perder funcionários, capital ou até mesmo da falência, as crises são tempos extremamente difíceis para pessoas que possuem ou gerenciam empresas.

Apesar de estarmos cada vez mais próximos de superar a pandemia do Covid-19, ainda é tempo de refletir sobre algumas lições que pudemos aprender nesse período sobre gestão de negócios em situações adversas.

Pensando nisso, separamos uma lista com algumas dicas valiosas para que você faça uma gestão eficaz da sua marca em qualquer crise e não precise se preocupar com prejuízos maiores.

Separe patrimônio pessoal e empresarial

Um dos erros mais cometidos por proprietários de empresas em tempos de crise é utilizar o dinheiro pessoal para suprir demandas da empresa ou vice-versa.

Isso é extremamente prejudicial tanto para a saúde da empresa, que fica condicionada a depender do capital pessoal do empreendedor para sobreviver, quanto para o próprio empreendedor, que fica cada vez mais vulnerável financeiramente em prol da sobrevivência do negócio.

Para que isso não aconteça, tenha uma conta bancária em nome da empresa e separe completamente os rendimentos pessoais do capital da empresa. Isso vai te ajudar a evitar qualquer tipo de confusão ou dependência orçamentária.

Analise os possíveis cenários

Assim como qualquer obstáculo que enfrentamos, é essencial que tenhamos ciência prévia de todos os cenários possíveis para desenvolvermos um plano de ação para cada um. Tendo esse plano de ação, fica muito mais fácil navegar em meio aos problemas gerados por uma crise.

Tente prever quais serão os prováveis gastos em determinado período de tempo e tente encontrar formas de administrá-los para que eles não ultrapassem os limites saudáveis para a empresa.

Identifique o essencial

Caso a situação se torne crítica e você perceba que a empresa não terá receita suficiente para cobrir os gastos convencionais, determine quais são os investimentos e aplicações indispensáveis para o funcionamento da empresa e corte o resto.

Um exemplo de gasto indispensável, por exemplo, é o pagamento da conta de luz de um estabelecimento. Além disso, é importante manter o pagamento dos seus fornecedores principais em dia para que sua marca possa continuar oferecendo produtos aos clientes e gerando renda.

Busque diferentes opções de gerar renda

Fazer uma promoção de produtos que estejam a muito tempo em estoque, por exemplo, é uma maneira de se desfazer desses produtos e, ao mesmo tempo, gerar uma renda que pode ser crucial para o seu negócio.

Além disso, estude a possibilidade de aumentar prazos de pagamento e oferecer facilidades diversas para manter a clientela e o fluxo de caixa.

Esteja sempre buscando informação

Sua visita a esse artigo já é um ótimo sinal, mas é importante que você esteja constantemente em busca de soluções para qualquer eventual problema que uma crise possa trazer para o seu negócio.

Dessa forma, você não procrastina a resolução de problemas e está sempre antenado nas melhores soluções financeiras para a sua marca.

Temos certeza que essas dicas serão úteis e poderão te ajudar a superar qualquer futura crise no seu negócio.

E você, o que está fazendo para que a sua empresa supere a crise?

Uma das causas mais comuns para o fechamento de empresas, é a falta de controle do fluxo de caixa.  

Apesar de ser uma ferramenta básica, muitos empreendedores, especialmente microempreendedores (MEIs) não entendem como funciona e não utilizam no dia a dia. Daí gerando resultados negativos que podem impactar na saúde financeira do negócio e prejudicar parte dos seus processos.  

Para que isso não aconteça, dominar o fluxo de caixa é essencial em um MEI.  

Pensando nisso, elaboramos esse post para que você entenda melhor sobre o fluxo de caixa e saiba desenvolvê-lo no seu MEI. 

Mas o que é fluxo de caixa?  

É definido como uma ferramenta de controle financeiro. Tem como foco registrar todas as entradas e saídas de dinheiro que o MEI recebe e gasta. 

Ou seja, se trata do registro de todas as contas que devem ser pagas e os pagamentos que devem ser recebidos.  

Graças a ele, um MEI tem a noção exata de quanto está gastando e ganhando.  

Como fazer um fluxo de caixa sendo MEI?  

  • Divida as entradas e saídas 
  • Seja o mais específico possível 
  • Analise os resultados 

Ninguém que contrata alguém espera isso

Um colaborador de má-fé, pode trocar as máquinas da empresa, fazendo com que os recebimentos não sejam direcionados para a conta do varejista. Com o conciliador e um controle de caixa eficaz, o varejista evita que esse problema aconteça, e caso aconteça a gestão saberá com muito mais rapidez.

Assim, com uma informação centralizada, ou através de um dashboard aprimorado o gestor de uma negócio consegue ver em tempo real o que realmente está acontecendo.

Os melhores conciliadores são aqueles que não são das próprias operadoras, o que podemos chamar de independentes.

As empresas independentes só tem compromisso com seu cliente, ou seja, em atender da melhor forma seu cliente. Fazendo que o cliente tenha lucro e evitando os prejuizos ocultos.

Infelizmente, não dá para se saber quando um colaborar por se virar contra você, e com este sistema você pode identificar possíveis fraudes.

Ninguém quer isso, é na verdade o empresários passa a confiar sempre em toda sua equipe, o que é o certo, mas a fraude acontece em muitos casos, o que o sistema serve como sua proteção nestes casos.

Fonte: Marketing 365, Infotvarejo
Foto: Divulgação, Licença, Marketing 365

Evitando que a operadora passe o valor incorreto

Evitar que a operadora passe um valor incorreto para o lojista é o principal objetivo do conciliador.

O software vai controlar se você está recebendo tudo que deve receber por suas vendas de cartão, ele também irá conferir se a operadora não está cobrando taxas irregulares pelos serviços de recebimento de cartão.

Ele faz isso conciliando tudo que as adquirentes somaram ou subtraíram de suas contas bancárias, fazendo uma análise o que houve de operações regulares ou irregulares.

Entendemos que toda operação tem que ser proposta no contrato, dessa forma você sabe claramente o que não está no contrato, como acordos de taxas, alugueis de equipamentos entre outros.

O conciliador é um sistema totalmente interligado as adquirentes(muitos chamam operadoras de cartões ou administradoras), então a facilidade da informação recebida é total.

Tenho certeza que você se pergunta: então eu vou saber tudo que está acontecendo na parceria com as empresas de cartões e voucher?

A resposta é SIM!

Fonte: Marketing 365, Infotvarejo
Foto: Divulgação, Licença, Marketing 365

O conciliador de cartão resolve várias questões se não todas, pois:

  • Evita prejuízos trazendo mais controle.
  • Aumenta a Produtividade: tempo é dinheiro
  • Negociação: em busca do menor custo
  • Gestão: planejando melhor
  • Fraudes: evite prejuízos ocultos
  • Controle do TEF E POS

Parece até inacreditável que finalmente é possível acabar com a falta de controle nos meus recebíveis e cobranças extras das administradoras, ou seja, adquirentes de cartões. Mas sim, é possível!

Conclusão

Utilizar um software de conciliação de cartões proporcionará a sua loja um processo de controle de vendas de cartões mais eficaz, ágil, seguro e, principalmente, mais barato, pois não será preciso empregar horas e horas de trabalho conferindo venda por venda de cartão. O sistema também auxiliará durante um processo de reembolso ou estornos que podem acontecer no procedimento de venda.